Autor de roubo com reféns no Manaíra é preso ao tentar fugir correndo do Choque

Autor de roubo com reféns no Manaíra é preso ao tentar fugir correndo do Choque

02/04/2018 0 Por Humberto Marques

Crime ocorreu em 17 de março e autor usava roupas e relógio de uma das vítimas; ele e um comparsa teriam participado de outro assalto com reféns em fevereiro, no Jardim Tarumã.

Policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar prenderam neste domingo (1º) três pessoas acusadas de roubo e cárcere privado, durante abordagem na avenida Ernesto Geisel, no Guanandi 2 –na região urbana do Anhanduizinho, em Campo Grande. O crime foi cometido em 16 de março no Jardim Manaíra (também no Anhanduizinho), ocasião em que cinco pessoas foram feitas reféns e um automóvel foi roubado e levado para o Paraguai –as vítimas também tiveram uma motocicleta tomada, que foi recuperada pelos policiais.

A identificação dos criminosos foi feita durante abordagem a veículo, quando também se constatou que um dos detidos era evadido do sistema prisional. Por volta das 6h, os policiais avistaram um automóvel GM Corsa que tinha como caronas Heron Tavares de Araújo, 23, e Felipe Santos de Almeida Martins, 20. Durante os procedimentos, Heron tentou fugir correndo, mas acabou contido ao tentar pular um muro próximo.

Questionado sobre o fato, Heron revelou ter cometido o roubo no dia 16, no qual a família foi feita refém no Manaíra. Embora não tenha entregado seus parceiros, o acusado deu detalhes do crime, informando inclusive que o automóvel VW Golf das vítimas foi levado para o Paraguai. Ao ser preso, ele usava as roupas e até mesmo um relógio tomado no assalto.

Com base nessas informações, os policiais seguiram em busca de Denis Gazula Simão da Silva, 21, onde encontraram uma motocicleta Honda Biz vermelha, que teria sido vendida a ele por Heron por R$ 500, ganhando de “brinde” uma jaqueta de couro.

Concluídas as apurações, descobriu-se que Felipe era evadido da Colônia Penal Agrícola. Diante dos fatos, os acusados foram entregues à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga.


Felipe, segundo os policiais, tem passagens por roubo, tráfico, receptação, posse de arma de fogo, furto, ameaça e tentativa de homicídio, tendo também envolvimento em roubo a uma família no Jardim Tarumã (Lagoa); ao passo que Denis já foi acusado de furto, receptação e roubo.

Morador suspeita que vinha sendo monitorado por assaltantes, que mantiveram ele e a família reféns

Heron (à direita) e Felipe (esquerda) são suspeitos de terem participado de roubo no Tarumã em fevereiro; Denis já foi acusado de receptação. (Fotos: PMMS/Divulgação)

Heron (à direita) e Felipe (esquerda) são suspeitos de terem participado de roubo no Tarumã em fevereiro; Denis já foi acusado de receptação. (Fotos: PMMS/Divulgação)

O assalto com reféns ocorreu em uma casa na rua Tambia, no Manaíra, por volta das 23h30. Uma das vítimas, de 33 anos, contou que estava em uma conveniência, quando uma pessoa no VW Golf prata chegou ao local e comprou bebidas, pagando com uma nota de R$ 100. O dono do estabelecimento perguntou à vítima se ele tinha condições de trocar o dinheiro.

Enquanto o homem atendia ao pedido, percebeu que era observado pelo outro “cliente”. Foi quando ele decidiu ir para sua casa. Pouco depois, ouviu um barulho no portão, momento em que viu a sogra caída no corredor. Foi neste momento que três bandidos anunciaram o assalto e o mandaram também deitar no chão.

As vítimas, incluindo duas crianças e a mulher da vítima, foram levados para um quarto. Os criminosos, então, disseram saber que a vítima tinha dinheiro e duas armas, exigindo que lhes fossem entregue uma pistola –há cerca de um mês, o proprietário do imóvel confirmou que havia recebido de um amigo uma pistola de airsoft, que foi vista por vizinhos.

Os bandidos começaram a carregar bens das vítimas, levando um automóvel Golf e uma Honda Biz. Dois deles fugiram com os pertences, enquanto um terceiro ficou na casa, ligando para os comparsas para saber quando seria buscado. O assaltante chegou a ligar para a namorada e pedir que ela o ajudasse.

A todo o instante, segundo o registro policial, o assaltante dizia ser de São Paulo e que veio para Campo Grande apenas para cometer o crime. Por volta das 2h, ele disse: “acabou o trampo”. Ele trancou a sogra da vítima e uma das filhas em um quarto, e o restante da família em outro, deixando a chave com o morador. Pouco depois, a família conseguiu acionar a polícia.

Mais tarde, a vítima soube que era monitorado desde as 18h pelos criminosos.

Heron e Felipe são suspeitos de envolvimento em roubo com reféns no Tarumã em fevereiro

As autoridades policiais descobriram, depois, que Heron teria envolvimento em um roubo seguido de cárcere cometido em 18 de fevereiro no Tarumã. Segundo informações do Choque, às 23h daquele dia, ele teria participado do assalto a duas mulheres na rua Florão, no Jardim Tarumã (Lagoa), ao lado de Felipe Martins –também são acusados do crime Paulo Henrique Neponucena Viana, 24; Isla Cardoso Pereira, 21; e Mateus Estevão Silva de Alexandre, 18.

Os invasores insistirem na ocasião que havia um cofre na residência. Uma das vítimas de 56 anos, relatou na ocasião que percebeu a presença de invasores em sua casa quando ia se deitar. Três assaltantes que estariam armados, usando capuzes, invadiram seu quarto e questionaram sobre a presença de um cofre e ouro. A filha da mulher, de 21, também foi rendida, recebendo ordens para não reagir.

Com uma toalha, o rosto da mãe foi tampado. Ela foi levada para o quarto da filha, onde foram amarradas com um fio de ventilador, de um carregador de celular e de um abajur. Os autores fugiram do local levando o automóvel Fiat Uno das vítimas.