Briga de trânsito na saída de casa de shows termina com morte de jovem no Portal Caiobá

Briga de trânsito na saída de casa de shows termina com morte de jovem no Portal Caiobá

03/06/2018 0 Por Humberto Marques

Wictor Hugo Brunet da Mota pilotava motocicleta que teria fechado um Chevrolet Kadett, com 3 pessoas, que o perseguiram e o mataram com dois tiros; depois do crime, ocupantes do automóvel sofreram acidente e incendiaram o veículo.

Uma briga de trânsito teria sido a motivadora do atentado que terminou com a morte de Wictor Hugo Brunet da Mota, 19, na madrugada de quinta-feira (31), no Portal Caiobá (na região do Lagoa, em Campo Grande). As indicações partiram das autoridades de segurança pública, após análise de filmagens e apurações in loco.

Os autores do crime foram presos em ação do pelotão de motos da 10ª CIPM (Companhia Independente de Polícia Militar), deflagrada no dia seguinte ao assassinato. Eles tentaram fugir do local em um Chevrolet Kadett mas, depois de um acidente, atearam fogo no veículo e prosseguiram a pé.

Um rapaz que seguia com Mota foi atingido por dois tiros na lombar e um no braço, mas foi socorrido e está fora de perigo. Ambos estavam em uma motocicleta Honda Titan que, momentos antes, trafegava pela avenida Nasri Siufi próximo à rua Dinamarca, nas imediações de uma casa de shows.

Depois do atentado, o condutor do Kadett chocou o veículo contra o meio-fio. Com o impacto, a roda se soltou, impedindo a fuga. Eles atearam fogo no carro e deixaram o local –foi preciso que o Corpo de Bombeiros apagasse as chamas.

Ação de policiais militares resultou na prisão de suspeitos de envolvimento no assassinato

Na madrugada de sexta-feira (1º), policiais do 10º CIPM efetuaram a prisão dos suspeitos. Pedro Martinez Filho, Higor Lopes Ferreira e Cristhian da Silva Cratil teriam saído da casa de shows no carro e sido fechados pela moto de Wictor Mota. Houve uma discussão e dupla na Titan deixou o local, mas foram perseguidos e baleados. Higor foi acusado de ter efetuado os disparos.


O condutor da moto morreu no local. A PM saiu em busca dos suspeitos depois que foi comprovada a propriedade do Kadett incendiado.O revólver usado no crime foi encontrado na casa de Higor, onde também havia duas outras armas –uma delas uma carabina de uso restrito e 72 munições. Na casa de Pedro a polícia informou ter localizado um automóvel com o número do chassi raspado.

Além de responderem por homicídio qualificado por motivo fútil, o trio responderá por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e permitido, receptação, adulteração de sinal de veículo automotor e associação criminosa. Eles foram presos e tiveram a prisão em flagrante convertida em preventiva pelo juiz Caio Márcio de Brito, da 1ª Vara de Execução Penal de Campo Grande.

Em audiência, Higor negou o homicídio, e os dois outros suspeitos de serem ocupantes do Kadett negaram participação –Christhian cumpria medida restritiva de liberdade por tráfico.