Construção do Centro Olímpico do Parque Ayrton Senna começa no dia 12

Construção do Centro Olímpico do Parque Ayrton Senna começa no dia 12

01/11/2018 0 Por Humberto Marques

Parque no Aero Rancho contará com pista emborrachada e estrutura capaz de sediar competições nacionais; Ministério do Esporte vai bancar a maior parte da obra.

A Prefeitura de Campo Grande prevê para 12 de novembro a retomada das obras para construção do Centro Olímpico do Parque Ayrton Senna, no Aero Rancho –Anhanduizinho. Anunciada como “celeiro” para possíveis atletas que disputariam as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, a obra levou anos para sair do papel e acabou interrompida em 2014, ainda na fase inicial.

pre BF - 350x250

A obra compreende uma pista de atletismo com piso emborrachado e oito raias, com 6.729,10 metros quadrados, capaz de comportar competições nacionais oficiais, além da iluminação necessária e os vestiários. A empreiteira responsável vai mobilizar 15 trabalhadores e, na próxima semana, começa a montagem do canteiro de obras –com os barracões.

O anúncio oficial do empreendimento fica para a próxima sexta-feira (9), na presença do ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) e do prefeito Marquinhos Trad (PSD), que assinam o termo aditivo do convênio com o Ministério dos Esportes, assinado em 2011, elevando em 97% a participação do governo federal no empreendimento –que salta de R$ 3,5 milhões para R$ 6,9 milhões e, por tabela, reduz a contrapartida do município de R$ 2,6 milhões para R$ 765,9 mil (70% a menos).

Desde 2017 Marquinhos negociava com o Ministério dos Esportes um aditivo ao convênio para viabilizar a retomada da obra. “Um dos fatores impeditivos era justamente a contrapartida, que com a atualização dos custos, passaria de R$ 4,3 milhões”, explica o prefeito, que destaca o apoio de Marun para destravar o processo em Brasília.

Parque Jacques da Luz deve se tornar Centro Olímpico com instalação de pista. (Foto: PMCG/Divulgação)

Parque Jacques da Luz deve se tornar Centro Olímpico com instalação de pista. (Foto: PMCG/Divulgação)


As tratativas começaram com o então ministro Leonardo Picciani, visando a recuperar projeto da ex-senadora Marisa Serrano que previa transformar o Parque Ayrton Senna em um centro de formação de atletas. Foram reservados R$ 10 milhões em emendas parlamentares para o empreendimento. Marquinhos tentava desde o ano passado reduzir a participação da prefeitura na obra –que chegou a ser orçada em R$ 9 milhões, em valores atualizados e em um projeto revisto.

Para 2019, além do Centro Olímpico no Parque Ayrton Senna, a prefeitura pretende revitalizar o parque aquático do parque, fechado há três anos. Serão reformadas instalações elétricas e hidráulicas e os banheiros. A quadra coberta também será revitalizada. O custo da obra foi previsto em R$ 1,1 milhão.

Em agosto, a prefeitura havia lançado licitação para revitalizar o Parque Jacques da Luz (nas Moreninhas, região do Bandeira) e deu posse ao conselho gestor da unidade de cultura e lazer. As obras foram orçadas em R$ 1 milhão. Lá, no início de 2018, também foi entregue obras para recuperação do estádio de futebol, o segundo mais importante da Capital.

No Ayrton Senna, por meio de parcerias com a sociedade civil, foi entregue em 2017 a primeira academia comunitária de musculação, aparelhada e cujo espaço foi reformado pela Valdir Materiais para Construção. Além disso, foi anunciada a revitalização das piscinas. O parque ainda ganhou uma pista de mountain bike.

Localizado no Aero Rancho, bairro com cerca de 36 mil habitantes, o Parque Ayrton Senna é o maior centro de esporte e lazer do Anhanduizinho, sendo utilizado por moradores de diferentes bairros da região e também do Lagoa.