Criança de 10 anos morre em avenida do Lagoa e moradores pedem mais controle do tráfego

Criança de 10 anos morre em avenida do Lagoa e moradores pedem mais controle do tráfego

22/05/2018 0 Por Humberto Marques
Garoto era passageiro em motocicleta que se envolveu em colisão com caminhão; moradores pedem instalação de quebra-molas ou semáforos na avenida Prefeito Lúdio Martins Coelho a fim de conter a alta velocidade de condutores.

Via que causa preocupações para moradores de seu entorno, a avenida Prefeito Lúdio Martins Coelho –na região do Lagoa, em Campo Grande– registrou um acidente fatal nesta segunda-feira (21). Uma criança de apenas 10 anos morreu após a motocicleta em que seguia com o avô ser atingida por um caminhão no cruzamento com a rua José Pedrossian, que dá acesso do Taveirópolis à avenida.

A criança, cuja identidade não será revelada, sofreu traumatismo craniano e outras fraturas, não resistindo aos ferimentos. O avô, um homem de 57 anos, foi socorrido com escoriações e em estado de choque diante da perda.

O condutor do caminhão envolvido no acidente também ficou em choque, mas permaneceu no local do acidente. Ele afirmou às autoridades que não viu a motocicleta. Conforme as informações colhidas pelas autoridades, o caminhão saída da José Pedrossian (que no trecho tem mão única) e atravessava a Lúdio Coelho para acessar a via por meio do contorno existente no local, quando houve a colisão.

O acidente trouxe de volta à tona reclamações de moradores dos bairros servidos pela avenida, devido à alta velocidade de veículos que trafegam na via que, embora sinuosa, possui trechos perigosos em toda a sua extensão –inclusive na região do São Jorge da Lagoa, Coophavila 2 e Tarumã, onde se chama Nasri Siufi e Marginal Lagoa.

Constituída para ser um acesso alternativo ao Centro da cidade para moradores de bairros do Lagoa, do Taveirópolis até o Tarumã, a Lúdio Coelho já demandou ações que visassem a conter os motoristas que nela trafegam, que comumente trafegam em velocidades bem acima dos 50 km/h.


Cruzamento da Lúdio Coelho com a José Pedrossian, onde houve colisão entre moto e caminhão que deixou criança morta; moradores pedem quebras-molas ou semáforo. (Foto: Humberto Marques)

Cruzamento da Lúdio Coelho com a José Pedrossian, onde houve colisão entre moto e caminhão que deixou criança morta; moradores pedem quebras-molas ou semáforo. (Foto: Humberto Marques)

No cruzamento com a rua Petrópolis, que dá acesso ao Jardim Anahy, Oliveira e União, constantes queixas de moradores resultaram na instalação de semáforos e equipamentos eletrônicos de fiscalização –que neste momento estão desativados devido ao fim do contrato entre a empresa prestadora do serviço e a Prefeitura de Campo Grande.

A sinalização no trecho também deixa a desejar. Embora a pista conte com as marcações horizontais e haja placas pedindo atenção a condutores, pedestres e ciclistas, o tráfego intenso e as necessidades de conversões fazem moradores exigirem a instalação de semáforos ou, pelo menos, de redutores de velocidade.

No trecho do acidente, por exemplo, há conjuntos semafóricos apenas no cruzamento com a avenida Duque de Caxias e em frente ao acesso à Vila Militar –onde também há traffic calmings, usados para travessia de pedestres. Depois, o controle eletrônico de tráfego aparece apenas a partir da Petrópolis.

loading...