Fogo em terreno gera discussão que termina com 2 mortes no Portal Caiobá

Fogo em terreno gera discussão que termina com 2 mortes no Portal Caiobá

11/02/2019 0 Por Humberto Marques

Discussão entre vizinhos por conta de limpeza de área resultou em tragédia; prestes a se cassar, rapaz construiria moradia no local.

Dois homens acabaram mortos em meio a uma discussão como vizinho de uma área na qual foi ateado fogo no Portal Caiobá –na região do Lagoa, em Campo Grande. Carlos Mendes Figueiredo, 42, e Bruno Pierri Figueiredo, 22, foram assassinados na noite de domingo (10) a tiros. O motivo foram as chamas, usadas para limpar a área na rua Luiz Filinto da Silva.

Conforme noticiado pela imprensa da Capital, Bruno se preparava para casar e, na área, deveria erguer sua casa. O rapaz deixou uma filha de 3 anos. Carlos, por sua vez, mantinha um casamento de 23 anos e correu para socorrer o filho.

Bruno e a namorada foram à área na tarde de domingo para iniciar a limpeza. Depois de juntar o mato, voltaram à noite para atear fogo, quando um vizinho reclamou. Em seguida, dois irmãos que viviam nas imediações se envolveram. Um deles, aparentemente alcoolizado, iniciou um bate-boca. O rapaz pediu ajuda do pai por telefone, momento em que um dos irmãos correu para dentro de sua casa, colocou uma camiseta e voltou, supostamente armado.

Atendendo ao chamado da dupla, uma quarta pessoa que mora nas imediações foi ao local e impediu o casal de sair. Foi quando o pai de Bruno chegou, levando consigo sua filha de 10 anos. Carlos foi baleado logo que desceu do carro. Seu filho também foi atingido. Ambos foram feridos na cabeça. A namorada do rapaz disse ter ouvido seis tiros.

Na fuga, os irmãos tentaram roubar uma motocicleta –os proprietários do veículo ouviram os disparos e saíram. Ao viraram a esquina na rua Flora do Pantanal, viram os suspeitos a pé e com uma arma, usada para ameaçar as testemunhas. A mulher disse que estava grávida e, em meio ao número de pessoas que se aglomerou no local, correram. Eles teriam entrado em um Chevrolet Celta prata.


Antes, a criança que chegou com Carlos ainda foi ameaçada por um dos envolvidos: um homem a pegou pelo pescoço e disse que a mataria, segundo testemunhas. A garota precisou ser medicada na UPA ((Unidade de Pronto Atendimento) Leblon. O autor desse ataque se apresentou às autoridades ao lado do advogado, alegando que tentou a ajudar, sendo liberado.

Pouco depois do crime, um incêndio atingiu a casa dos irmãos acusados de envolvimento no crime. Concentrado em um dos quartos, ele destruiu móveis, paredes e o telhado, mas o Corpo de Bombeiros conseguiu conter as chamas antes de o fogo se espalhar.

O homem que efetuou os disparos já foi identificado e é procurado pelas autoridades. O caso é investigado pela 6ª Delegacia da Capital, no Tijuca.