Mistério na Guaicurus: chefe de Segurança da Assembleia, PM aposentado é executado a tiros

Mistério na Guaicurus: chefe de Segurança da Assembleia, PM aposentado é executado a tiros

11/06/2018 0 Por Humberto Marques

Primeiro sargento aposentado Ilson Martins de Figueiredo foi assassinado enquanto conduzia veículo no Jardim Moema. Perto dali, caminhonete foi encontrada incendiada.

Um crime bárbaro chamou a atenção de quem passava pela avenida Guaicurus, no Jardim Moema –região do Santo Eugênio, no Bandeira, em Campo Grande– na manhã desta segunda-feira (11). O primeiro sargento aposentado da Polícia Militar Ilson Martins de Figueiredo, 62, foi executado a tiros de fuzil dentro do automóvel que conduzia. Os autores fugiram do local. Próximo dali, policiais encontraram uma caminhonete incendiada.

Ilson se aposentou da Polícia Militar no fim dos anos 1990 e, desde 2015, atuava como gerente de Segurança e da Polícia Legislativa da Assembleia de Mato Grosso do Sul. Circunstâncias do crime, incluindo sua autoria, seguem sob investigação.

A vítima conduzia um automóvel Kia Sportage branco no sentido centro-bairro, quando foi alcançado pelos seus algozes. Foram efetuados vários disparos de fuzil –possivelmente AK-47– e carabina .556 contra o veículo, que atingiu o muro de um comércio e ficou atravessado na Guaicurus. Ilson, conforme as primeiras informações, morreu na hora. Mais de 30 disparos de arma de fogo atingiram o veículo.

A identidade da vítima foi confirmada por parentes. No local, onde o trânsito foi interditado durante os trabalhos policiais, investigadores encontraram um carregador de fuzil e um extensor de coronha, aparelho usado para melhor acomodar o fuzil pelo atirados, bem como cartuchos de outros calibres.

Perto do local, em uma estrada vicinal da região do Bandeira, uma caminhonete Fiat Toro vermelha foi encontrada incendiada na manhã desta segunda-feira. Conforme testemunhas, pessoas chegaram ao local nela e em outra caminhonete, atearam fogo na Toro e fugiram.


Filmagens de câmeras de segurança e testemunhos indicam que o veículo foi usado no atentado, cuja motivação ainda é alvo de investigações.