Para ampliar vida útil de asfalto, Sisep aplica microrrevestimento em 20 ruas

Para ampliar vida útil de asfalto, Sisep aplica microrrevestimento em 20 ruas

20/08/2018 0 Por Humberto Marques

Serviço será implantado em quase 30 quilômetros de ruas e visa a evitar o surgimento de novos buracos; vias no Aero Rancho começaram a receber microrrevestimento.

Não é recapeamento, mas também está longe de ser tapa-buracos. Moradores de bairros nas sete regiões urbanas de Campo Grande foram surpreendidos, desde a semana passada, com o trabalho de empreiteiras na implantação de microrrevestimento asfáltico em 20 ruas nas 7 regiões urbanas da cidade. Trata-se da primeira fase de um serviço que, conforme a Prefeitura da Capital, vai usar uma reserva de quase R$ 15 milhões dos R$ 34,2 milhões previstos para gastos com o tapa-buracos ao longo de 12 meses para cobrir 29,4 quilômetros de vias.

O município aponta que 112 quilômetros de ruas da Capital têm condições de receber o microrrevestimento, que prolonga a vida útil do asfalto e, em tese, vai evitar o surgimento de crateras que, nas primeiras chuvas, transformam as vias de Campo Grande em verdadeiras pistas de obstáculos. Isso porque a cobertura no pavimento vai tapar fissuras que se transformam em buracos assim que começam a receber água.

Dentre as ruas que começaram a receber o micorrevestimento estão as avenidas Arquiteto Vilanova Artigas e Ezequiel Ferreira Lima e a rua Jornalista Valdir Lago, no Aero Rancho (na região do Anhanduizinho). Na primeira, será feita a cobertura de toda a vida, da avenida Gunter Hans (em frente ao Terminal Aero Rancho) até a avenida Tancredo Neves.

O serviço chamou a atenção de quem passa todos os dias pelo local. Comerciantes das imediações do terminal contaram ao Comunidade.MS terem se surpreendido com o trabalho das máquinas na semana passada: isso porque, na avaliação dos empresários, a Vilanova Artigas não precisava de manutenção. “É uma das ruas melhor conservadas do bairro”, disse uma lojista.

Na Ezequiel Ferreira Lima, o microrrevestimento será implantado no trecho entre a avenida Vereador Thyrson de Almeida (prolongamento da avenida Ernesto Geisel) e a rua da Divisão, no Parati (Anhanduizinho). A Valdir Lago, por sua vez, terá a melhoria nos 750 metros ao longo do Parque Ayrton Senna, justamente entre a Ezequiel Ferreira Lima e a Vilanova Artigas.


A obra também vai contemplar a rua Vicente Solari, na Vila Bandeirantes (Lagoa), que recentemente passou por intervenções no cruzamento com a rua Brilhante –o futuro Corredor Sudoeste do transporte coletivo. A obra vai se estender entre as avenidas Tiradentes e Bandeirantes, em uma extensão de 700 metros.

Não será a primeira vez que ruas de Campo Grande receberão o microrrevestimento na atual gestão: serviço semelhante foi realizado, em parceria com a Águas Guariroba, em vias como a Padre João Crippa (entre as avenidas Afonso Pena e Mato Grosso, no Centro), Pontalina (Santo Eugênio, no Bandeira) e Yokoama (Santo Amaro, Imbirussu).

Secretário adverte que microrrevestimento não é o mesmo que recapeamento

Rudi Fiorese, titular da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), antecipou-se e alertou que o microrrevestimento não pode ser confundido com o recapeamento, que praticamente refaz toda a pavimentação. A obra anunciada, na verdade, visa a impermeabilizar o pavimento em boas condições, a fim de evitar que sejam abertas crateras.

“Dos mais de 2.900 quilômetros que compõem a malha viária pavimentada de Campo Grande, pelo menos em 1.500 quilômetros a única alternativa para recuperar o asfalto é o recapeamento”, pontuou o secretário, explicando que este asfalto é velho e demanda melhorias profundas.

“O serviço (microrrevestimento) não pode ser confundido com o tapa-buraco e com o recapeamento. É uma manutenção preventiva que vai garantir mais de quatro a cinco anos e vida útil ao pavimento. Não pode ser aplicado em ruas onde o asfalto já está comprometido porque foi feito há décadas”, explicou o engenheiro Edvaldo Aquino, supervisor da manutenção de vias pavimentadas.

O serviço será realizado em vias consideradas estratégicas para o sistema viários de diferentes bairros. Confira abaixo a lista de ruas e avenidas a recebem o microrrevestimento:

Região do Segredo: 2.350 metros

  • Rua Pedro Balduíno da Silva (entre as ruas Sargento Hércules Santos de Campos e Benito Melchiades) – 650 metros
  • Rua Cotegipe (entre a avenida Euler de Azevedo e a rua Benito Melchiades) – 1,3 km
  • Benedito de Oliveira (entre as ruas Pedro Balduíno e Carlos Scartine) – 400 metros

Lagoa – 700 metros

  • Rua Vicente Solari (entre as avenidas Bandeirantes e Tiradentes)

Anhanduizinho – 3.550 metros

  • Arquiteto Vilanova Artigas (entre as avenidas Gunter Hans e Tancredo Neves) – 1,1 km
  • Avenida Ezequiel Ferreira Lima (entre a avenida Vereador Thyrson de Almeida e a rua da Divisão) – 1,7 km
  • Rua Jornalista Valdir Lago (ente as avenidas Ezequiel Ferreira e Arquiteto Vilanova Artigas) – 750 metros

Centro – 11,6 km

  • Rua Pernambuco (entre as ruas Ceará e 13 de maio) – 2,5 km
  • Rua Amazonas (entre as ruas Maranhão e 13 de maio) – 1,7 km
  • Rua Arthur Jorge (entre a avenida Rachid Neder e a ruua Joaquim Murtinho) – 2,8 km
  • Rua Eduardo Santos Pereira (entre as ruas 13 de Maio e Ceará) – 2,5 km
  • Rio Grande do Sul – 2,1 km (entre a rua Amazonas e a avenida Ricardo Brandão)

Imbirussu – 3,8 km

  • Avenida Capibaribe (entre a avenida Júlio de Castilho e a rua Murilo Rolim Júnior) – 1,8 km
  • Rua Yokoama (entre as avenidas Ministro José Linhares e Presidente Café Filho) – 600 metros
  • Rua Ricardo Franco (Entre a avenida Júlio de Castilho e a rua Fernando de Noronha) – 1,4 km

Prosa – 4,3 km

  • Rua Dr. Zerbini (entre as ruas Arquiteto Rubens Gil de Camilo e Dr. Mário Gonçalves) – 1,1 km
  • Rua Dr. Michel Scaff (entre as ruas Dr. Antônio Alves Arantes e Dr. Mário Gonçalves) – 800 metros
  • Rua Teldo Kasper (entre as ruas Dr. Antonio Alves Arantes e Cel. Cacildo Arantes) – 500 metros
  • Rua Eduardo Machado Metello (entre as ruas Dr. Antônio Alves Arantes e Rua do Orvalho) – 900 metros
  • Rua Marcino dos Santos (entre a avenida Afonso Pena e a rua Raul Pires Barbosa) – 550 metros
  • Rua Oceano Atlântico – 450 metros

Bandeira – 1 km

  • Rua Cayova (Entre a avenida Eduardo Elias Zahran e a rua Marquês de Lavradio)