Procon-MS compara lotéricas a posto de atendimento bancário e cobra senhas e tapumes

Procon-MS compara lotéricas a posto de atendimento bancário e cobra senhas e tapumes

27/06/2018 0 Por Humberto Marques

Fiscalização começou após denúncia de que lotéricas se negavam a abrir contas bancárias. Procon promete reunião com empresários para cobrar adequações.

Foi-se há muito o tempo em que as lotéricas eram locais exclusivos para o registro de jogos. Com o tempo, vários serviços passaram a ser oferecidos nos estabelecimentos, transformadas quase que em pequenas agências bancárias –graças à integração com a Caixa Econômica Federal. Desta forma, também começaram a surgir problemas em algumas empresas, sendo a demora no atendimento e as filas apenas os mais comuns.

Recentemente, o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul) recebeu denúncia de que lotéricas estariam se recusando a prestar o serviço de abertura de contas, dando início a uma investigação que, conforme a assessoria do órgão, foi um pouco além.

Fiscais constataram que há estabelecimentos que não imprimem senhas de entrada e saída de forma eletrônica, não havendo também biombos, tapumes ou estruturas similares para impedir que os clientes sejam vistos por outras pessoas durante o atendimento –como prevê uma lei municipal de 2010 e já é seguido por instituições bancárias. O Procon alerta que as multas podem chegar a R$ 5 mil.

“A lotérica é um posto de atendimento bancário e deve seguir as leis pertinentes ao seguimento, como tempo de espera e proteção ao consumidor. A lotérica não é apenas mais uma casa de jogos e, nesse sentido, precisa se adequar”, declarou o superintendente do Procon-MS, Marcelo Salomão, informando que o órgão pretende realizar uma reunião com representantes lotéricos para discutir o assunto e as adequações necessárias.

O Procon Estadual disponibiliza o número 151 e o Fale Conosco do site aos consumidores para informações e denúncias.